7 assassinatos no Jacarezinho prova fracasso da política de segurança do Governo Golpista.

O Rio de Janeiro vive uma profunda crise na segurança pública. Em apenas 9 dias ocorreram 7 assassinatos na Favela do Jacarezinho, Zona Norte do Rio.

No dia 11 de agosto, a Polícia Civil e a Força Nacional, iniciaram uma operação contra o roubo de cargas, mas na verdade tratasse de um acerto de contas. Após a morte do policial Civil, Bruno Guimarães- morto em confronto no Jacarezinho. Se iniciou uma guerra paralela, a partir de uma operação controlada e dirigida pela Policia Civil.

Os moradores do Jacarezinho realizaram manifestações contra o genocídio e os ataques terroristas do Estado brasileiro contra o povo negro. Os problemas para a população do local são muitos, Escolas e creches fechadas, restrições de ir e vir, proibição de comércios local abrir às portas.

Há uma unidade entre as forças de repressão do Estado, Exército Brasileiro, Polícia Militar, Policia Civil e a Força Nacional direcionam uma política de extermínio contra o povo negro alegando um combate ao tráfico de drogas. Entretanto, não há o mesmo tratamento repressivo contra o Deputado Federal Zezé Perella que possuía um helicóptero com 450 kg de pasta de cocaína ou do atual ministro da Agricultura Blairo Maggi que teve um avião apreendido pela FAB com 600 kg com pasta de cocaína.

Essa guerra política mostra o total fracasso das UPPs e da política de segurança militarista do governo golpista de Michel Temer.