Judiciário não viu ameaça quando fascistas armados invadiram a Câmara, mas vê ameaça em manifestação do dia 24

Nessa semana, o Desembargador Thompson Flores, Presidente do TRF-4, Tribunal responsável pelo “processo de inquisição” do Ex-Presidente Lula, declarou que os membros do TRF-4 estavam sofrendo ameaças. Segundo a própria imprensa golpista, o desembargador não apresentou provas. É óbvio que tal declaração vem no sentido de justificar a perseguição da Polícia Federal contra o movimento democrático que ocupará Porto Alegre. A hipocrisia do desembargador fica evidente quando em outros momentos a direita fascista ameaçou sociedade brasileira. O movimento fascista MBL (Movimento Brasil Livre) chegou a atacar a casa do Ministro do STF Teori Zavascki, morto em um acidente de avião ano passado, após o Ministro repreender Moro no caso do vazado seletivo de escutas da Presidente Dilma no Jornal da Rede Globo.

ATAQUE COM TIROS CONTRA MARCHA DE MULHERES NEGRAS

Em outubro de 2015, por mais de um mês, a direita fascista ocupou o gramado em frente ao Congresso Nacional. Eles defendiam a volta da Ditadura Militar e o golpe contra a Presidente Dilma Rousseff. Na ocasião, ocorreu a Marcha das Mulheres Negras, apoiada pelo movimento sindical e popular. Quando a Marcha aproximou-se da Câmara foi atacada por grupamentos fascistas armados. Segundo a imprensa, dos policiais civis que estavam no acampamento da direita dispararam com armas de fogo, o militantes a favor da intervenção militar lançaram rojões contra as mulheres negras, o que causou pânico entre as manifestantes. Conforme os bombeiros, ao menos dez pessoas precisaram de atendimento médico.

Deputado Federal por SP e líder do MBL tiram foto armados e ameaçam

GRUPO PRÓ-DITADURA INVADE CÂMARA

Em novembro de 2016, manifestantes pró-ditadura militar invadiram o Plenário da Câmara dos Deputados e quebraram bens públicos. Na época, eles apoiavam a proposta das 10 propostas de lei de Deltan Dallagnol, entre elas, o fim do direito de habeas corpus.

FASCISTAS FAZEM LINCHAMENTO DE JOVENS NO RJ

Em setembro de 2015, um grupo de 30 fascistas, atacaram cidadãos do subúrbio que iam as praia de Copacabana e Ipanema. Na palavra de um desses fascistas, eles buscava “moleques de chinelo, com cara de quem não tem R$ 1 no bolso”. Esse grupo fascista havia se organizado pela internet e promoveu uma série de linchamentos contra jovens da periferia. Eles também afirmaram que tiveram o apoio dos Policiais Militares: “O policiais nos apoiaram, tanto que não nos prenderam. É o terceiro final de semana que fazemos isso”.

MÉDICOS DE CLASSE MÉDIA ATACAM MÉDICOS ESTRANGEIROS

Em agosto de 2013, manifestantes do Sindicato dos Médicos do Ceará fizeram ‘corredor polonês’ e ofenderam médicos estrangeiros (cubanos, argentinos, uruguaios, angolanos e portugueses) que chegavam no Brasil para trabalhar no programa Mais Médicos. Os médicos estrangeiros foram chamados de “escravos”, “incompetentes” e escutaram “voltem para a senzala”.


MÉDICOS COLOCAM EM RISCO VIDA DA EX-PRIMEIRA DAMA E PROPÕEM MÉTODO PARA MATA-LA

Na ocasião do falecimento da Ex-Primeira Dama do Brasil Marisa Letícia, médica do Hospital Sírio-Libanês, onde a ex-primeira Dama estava internada, compartilhou com terceiros informações sigilosas do diagnóstico. A médica e seus colegas deram risadas, mensagens de ódio e de celebração ao falecimento da esposa de Lula foram feitas. Médico do hospital da Unimed em São Roque, sugeriu um procedimento para matar dona Marisa Letícia à médica do Sírio Libanês.

Médica que vazou informação de Marisa participou de manifestações contra o Programa Mais Médicos.

DIREITA INVADE VELÓRIO DE EX-SENADOR DA REPÚBLICA

Em outubro de 2015, o velório do ex-senador petista e ex-presidente da Petrobras, José Eduardo Dutra, morto aos 58 anos, vítima de câncer, foi invadidos por militantes de direita. Segundo informações do jornal golpista Estadão, o grupo teria jogado panfletos nas ruas de Belo Horizonte com mensagens como “Petista bom é petista morto”.

MILITANTE DO PT ASSASSINADO DURANTE CAMPANHA ELEITORAL DE 2014

O militante do PT Hiago Augusto Jatoba de Camargo, de 21 anos, foi assassinado a facadas enquanto fazia campanha para Presidente Dilma. Testemunhas afirmaram que um eleitor de Aécio Neves atacou o militante por motivação político-ideológica. Na rede, militantes do Brasil inteiro se solidarizaram com a tragédia e, muitos atribuíram o fato ao discurso de ódio contra o PT quem tem sido alimentado pela grande mídia burguesa.

Poderíamos listar centenas de casos que envolvem invasões de sedes de partidos de esquerda e sindicatos, ataques a eventos da esquerda, perseguições, assassinato de dirigentes, entre outros. Se analisarmos o número de ataques da extrema direita por meses, constatamos que o período de agosto à dezembro de 2015 foi de maior intensidade. Não é por acaso, naquela época o golpismo se encontrava em franca ofensiva para derrubar o Governo Dilma. A condenação do Ex-Presidente Lula é um ataque enorme a toda classe trabalhadora. A direita irá avançar ainda mais. Não podemos permitir que isso aconteça. O judiciário golpista cumpre o papel de ser difusor do pinochetismo – o fascismo neoliberal – na tarefa de reprimir o povo brasileiro.

Anúncios