Justiceiro Bretas quer por na cadeia Almirante Othon em nome dos EUA

“Minha condenação interessa ao sistema internacional”

Hoje, dia 20 de março, o justiceiro fascista Marcelo Bretas – o fura teto com salário de R$ 43.054,35 (dado do Portal da Transparência) e que ganha auxílio moradia tendo uma moradia luxuosa, anunciou que quer colocar na cadeia o Almirante Othon Pinheiro – herói nacional que criou o reator nuclear brasileiro.

O Almirante da Marinha Othon Pinheiro, de 78 anos, foi condenado arbitrariamente à 43 anos de prisão, ou seja, prisão perpétua. Sendo a segunda maior pena da Lava-Jato. Como é de prática na Lava-jato, bastou uma delação premiada para levar-lo para cadeia. No processo o Almirante Othon, ex-presidente da Eletronuclear, teria recebido uma quantia discrepante de R$ 4,5 milhões em um projeto que custa R$ 1,24 bilhões, no período de 10 anos. Valor bem inferior se o ciêntista tivesse trabalhado menos de 3 anos na NASA com um salário base. Bretas, como um rei que atua acima da lei, entendeu que por se tratar de uma figura nacional e respeitada, a pena do Almirante deveria ser maior, já que Almirante Othon deveria dar o exemplo.

O almirante da Marinha, conseguiu no ano passado o habeas corpus em decorrência da sua frágil condição de saúde. Othon tem câncer de pele e já passou por cirurgia. Os advogados do Almirante adivertem que sua prisão dificultaria seu tratamento e agravaria sua condição de saúde. Othon chegou a tentar cometer suicídio dentro da prisão, após entrar em depressão por conta da injustiça realizada contra ele.

Não interessa para o Brasil um cientista brilhante como Othon, um patriota comprometido com a ciência brasileira estar em prisão perpétua. Ele foi responsável por desenvolver a tecnologia de centrífugas, reconhecida como a melhor tecnologia do mundo. Essa tecnologia foi desenvolvida nas pesquisas para o desenvolvimento do submarinonuclear da Marinha, onde Othon é uma figura estratégia. Sua pesquisa cientifica garantiu ao Brasil o controle de todo ciclo de produção do urânio (matéria prima, tecnologia e a fabricação, processo onde apenas 3 países no mundo controlam: EUA, Rússia e Brasil, daí vem o perigo).

O patriotismo dos militares golpistas é colocado em xeque com essa prisão. Esses generais das Forças Armadas são incapazes de promover qualquer solidariedade para um cientista militar e de garantir a soberania nacional. Por sua vez, fica claro o papel desempenhado pelo judiciário nesse golpe, principalmente a Lava-Jato (Operação concebida e financiada pelos EUA conforme provado através de diversos documentos), no sentido de garantir os interesses do Imperialismo Norte-Americano, mesmo que isso signifique miséria do povo brasileiro e a perda soberania nacional.

A prisão de Othon não é apenas ilegal, mas também fascista e criminosa! Os progressistas, democratas e a esquerda em geral devem defender todos os perseguidos do golpe e os presos políticos da Lava-Jato, pois no Brasil se ergue uma ditadura mais sanguinária que a de 1964.

Anúncios