Golpistas na Venezuela dizem que governo do Brasil enviará apoio.

O golpista venezuelano, Juan Guaidó, anunciou neste sábado (2/2) que começará em breve a chegar “ajuda humanitária” na Venezuela. O capacho norte-americano não deu detalhes sobre que tipo de “”ajuda humanitária” que deve entrar no território venezuelano, mas falou de uma “coalizão internacional para ajuda humanitária e liberdade da Venezuela”.

Segundo ele, pontos de entrada dessa suposta ajuda humanitária estão previstos nas fronteiras com Brasil, Colômbia e por uma ilha no Caribe. “Já temos três pontos de aprovisionamento para a ajuda humanitária: Cúcuta (Colômbia) e outros dois. Um ficará no Brasil e outro em uma ilha do Caribe”, declarou Guaidó, no palanque de onde se exibia em uma manifestação.

Além de dizer que todas as possibilidades estão sobre a mesa, incluindo a opção militar. “Nós próximos dias começará uma coleta de TUDO QUE FOR NECESSÁRIO para a sobrevivência de nosso povo”, anunciou.

Governo eleito na fraude se reuniu com conspiradores venezuelanos.

No dia 17/01, o Itamaraty se reuniu com conspiradores e traidores venezuelanos. O mesmo declarou agir para derrubar o governo democraticamente eleito do Presidente Nicolás Maduro. 

E sabido por todos e até o momento não foi desmentido pelo próprio governo, que o governo golpista do Brasil está envolvido em uma conspiração para assassinar o Presidente Maduro e promover uma intervenção militar na Venezuela.  

Trump confirmou pode enviar tropas para Venezuela

No mesmo dia em que o vende-pátria Guaidó dava essas declarações sobre “ajuda humanitária”, o presidente norte-americano, Donald Trump, voltou a dizer à rede de televisão CBS que a possibilidade de intervenção militar dos EUA na Venezuela é “uma das opções”.

Estados Unidos, seus aliados e países satélites ampliam as sanções ilegais contra a Venezuela.

Nas ultimas semanas, os Estados Unidos, seus aliados e governos serviçais na América Latina ampliaram as medidas de bloqueio econômico contra a Venezuelana.

Com a cumplicidade da oposição golpista na venezuela, os países imperialistas vem roubando as riquezas do povo venezuelano no exterior. Na semana passada, 14 toneladas de ouro, o equivalente à U$S 500 milhões, depositados no Banco da Inglaterra foram roubados pelo governo britânico e este se recusa a devolver. Da mesma forma, os EUA pilharam a empresa venezuelana CITGO no seu território.

O objetivo dessas sanções é alem de garantir recursos para financiar os golpistas dentro e fora da Venezuela, promover grande penúria para o povo venezuelano. Tratasse de uma estratégia antiga dos Estados Unidos que visa desestabilizar governos e justificar intervenções.

Relatório da ONU afirma que sanções violam o direito internacional e prejudicam o povo Venezuelano

Na quarta-feira passada, dia 30/01, em relatório da Comissão de Direitos Humanos, o coordenador Idriss Jazairy afirmou que o uso das sanções por potências de fora para retirar um governo eleito é uma violação de todas as normas da lei internacional. A ONU afirma que as sanções só podem ser aplicadas a menos que seja aprovado pelo Conselho de Segurança da ONU, como requerido pela Carta das Nações Unidas.

O relatório afirmou que as sanções econômicas aplicadas contra a Venezuela representam grande penúria ao povo do país, pois dificulta o acesso a alimentos, remédios e outros bens de primeira necessidade. Apesar de não haver escassez generalizada no país, há uma cotização desses recursos por conta das sanções.

Desde o chamado “bombardeio humanitário” contra a Líbia, os Estados Unidos vem sistematicamente aprofundando e violando as resoluções da ONU, quando esta contraria seus interesses. Essas medidas unilaterais esvaziam e enfraquecem os espaços da Assembleia Geral.

Grupo de Lima se reúne amanhã para organizar novos ataques contra a Venezuela.

Amanhã, dia 04 de fevereiro, na cidade de Ottawa no Canadá, se reunirá o Grupo de Lima. O Grupo de Lima é formado por países alinhados aos Estados Unidos e que passaram recentemente por golpes de estado, por Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Honduras, Panamá, Paraguai e Peru. Canadá e México também fazem parte do grupo, mas o governo Mexicano se opõem a qualquer tentativa de invasão miliar contra a Venezuela. O objetivo da iniciativa é buscar a derrubada do governo Venezuelano e implantar uma ditadura no país à serviço dos Estados Unidos.

Nessa reunião, o Peru pedirá ao Grupo de Lima que rompa relações diplomáticas com Venezuela, afirmou o ministro da Relações Exteriores peruano, Néstor Popolizio. Também serão anunciadas uma série de medidas de imigração, políticas e financeiras que pretendem derrubar o governo democraticamente eleito de Maduro.

Esses países reconhecem unicamente a representação eleita da Direita dentro da Assembleia nacional, mas não reconhecem a eleição de Nicolás Maduro eleito pelo mesmo sistema eleitoral. Afinal, com o fim da “era das eleições” a direita seja onde for só reconhece eleição que ela ganhe.

EUA e aliados enviam recursos para financiar terroristas e golpistas

Esta semana o vice-presidente brasileiro, o general Mourão, declarou que Brasília iria prestar ajuda humanitária à Venezuela.

Na sexta-feira (1°) a Agência de Cooperação e desenvolvimento da Suécia anunciou que pretende destinar uma verba de mais de US$ 7 milhões para ajudar os venezuelanos. Os Estados Unidos também indicaram que enviaram US$ 20 milhões. Esses valores ridículos logicamente não serão aplicados em ajuda humanitária, mas sim no financiamento de grupos paramilitares para promover ações terroristas dentro da Venezuela.

Um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s