Cresce a popularidade do Presidente Lula e a campanha Lula Livre

O golpe de Estado contra a presidente democraticamente eleita, Dilma Rousseff, reabriu o porão da Ditadura Militar de 1964. Os fascistas e torturadores da época da Ditadura, que continuaram ocupando cargos importantes no Estado beneficiados pela lei de anistia, hoje se sentem protegidos para atacar o povo graças à complacência das instituições.

O governo militar, que encabeça o programa de traição à pátria em benefício do imperialismo norte-americano, hoje só ocupa a presidência da república graças ao golpe de 2016 e à fraude eleitoral. É um governo mergulhado em esquemas de caixa 2, fraudes, envolvimento com milicias, pagamentos de propina e todo tipo de banditismo. Porém ele é mantido por uma base social fascista e colonizada, que cada vez mais entra em crise e diminui.

Desde 2016, vemos uma escalada de ataques dirigidos pelo Estado e por grupos fascistas contra toda à população: assassinatos durante a eleição contra pessoas apenas por declararem voto no PT, linchamento de jovens negros nas ruas, execução de lideranças de esquerda, incluindo da vereadora Marielle Franco — que aponta relação entre milicianos apoiadores do filho do capitão do Exercito, além de vários outros crimes.

A direita golpista tentou usar a morte de Arthur, neto do presidente Lula, em um hospital de um bairro operário, para mais um ataque sórdido contra a esquerda e o povo. Fracassaram na sua campanha. A reação da base petista e da imprensa progressista mostrou que a “base social” do golpe está cada vez mais na defensiva.

Os ataques partiram da base reacionária do governo e foi encabeçada por políticos do partido das milicias [PSL] e pelo próprio filho do Capitão do Exército. Primeiro, contestaram um direito constitucional que é de uma pessoa poder enterrar os seus familiares e, depois, festejaram a morte do neto do Presidente Lula.

Apesar disso, as principais agressões partiram especialmente do Estado brasileiro. A juíza criou regras que não existem no Código Penal e apenas permitiu por pouco mais de uma hora. Também proibiu o presidente de falar, ser fotografado ou ser filmado durante o velório.

Lula foi escoltado na capela por policiais uniformizados com roupa de policiais da Swat de Miami, Estados Unidos. O ex-presidente de um país soberano sendo carregado por policias declaradamente anti-petista e portando o escudo de outra nação é uma manifestação caricata do entreguismo e vassalagem da justiça brasileira que vem assolando nossa pátria de 2016 pra cá.

O Estado brasileiro é o culpado por toda essa tragédia. Privou a convivência do presidente Lula com o neto através de uma perseguição judicial, com um processo farsante, sem prova e sem crime. Uma criança que já tinha sofrido por conta de toda perseguição midiática e judicial do golpe contra o Presidente, sem falar no assassinato da senhora Marisa.

É admirável a coragem e integridade do presidente Lula ante a tortura da qual é vítima. Lula segue sendo uma ameaça a todos os golpistas, por isso não permitem que fale, que dê entrevistas ou até mesmo acene para o povo.

Lula continua aumentando sua popularidade, inspirando cada vez mais o povo, que vê nele a representação de um projeto que valoriza o salário minimo, o financiamento dos programas sociais, a proteção aos direitos do povo, a defesa dos interesses nacionais. Enquanto isso, o governo militar representa o entreguismo, a violência e ataques contra o povo brasileiro.

É preciso mobilizar o povo na defesa da liberdade do presidente Lula. Acabar de uma vez com toda essa injustiça contra o Presidente Lula. Os criminosos fascistas devem ser detidos agora, através da mobilização popular, pois para quem comemora a morte de crianças não há limites para os crimes que eles almejam.

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s