PROSUL É FUNDADA PARA SABOTAR A INTEGRAÇÃO DA AMÉRICA LATINA.

Nessa sexta-feira, dia 22 de março, na Capital do Chile, Santiago, reúnem o primeiro Fórum da PROSUL [Fórum para o Progresso e Desenvolvimento da América Latina]. Tratasse te uma articulação impulsionada pelos Estados Unidos, que teve início no final do ano de 2018 e é encabeçada pelos Presidentes Sebastián Piñera, Chile, e Iván Duque, Colômbia.

Os governos da Colômbia e Chile anunciaram a criação desse novo organismo que busca substituir a UNASUR. Esse órgão reúne até o momento Equador, Peru, Chile, Colômbia, Paraguai, Brasil e Argentina. Não por acaso, são os mesmos países que integram o chamado “Cartel” de Lima, Fórum que está completamente fracassado e acéfalo após as sucessivas derrotas de impor golpes de Estado na Venezuela, Nicarágua e Cuba.

Cinicamente, a maior propaganda do PROSUL é supostamente ser um “fórum livre de ideologias”. Logo não passa de jargão sem sentido, pois os governos que compõem esse fórum são todos neoliberais, golpistas e com pensamento neocolonialistas.

Mas vamos aos fatos, enquanto eles dizem “combater as ideologias de esquerda” [Que por si só é uma propaganda ideológica para desviar a atenção das verdadeiras questões], O PROSUL afirma que sua missão é unificar os países com governos de direita, com uma agenda pro estadunidense, pro neoliberal e pro mercado-livre.

É importante sinalizar, que todos esses governos encontram-se desestabilizados por conta das crises econômicas, políticas e institucionais. Nessa via, o PROSUL pretende manter e evoluir as ditaduras que estão se formando na América Latina.

Para fazer propaganda contra os governos de esquerda e excluir Venezuela, Nicarágua, Cuba e outros governos da articulação, a carta do PROSUL diz que o principal critério para fazer parte do órgão é o compromisso total na defesa dos direitos humanos. Porém, o Chile, que encabeça essa articulação, é acusado de promover crimes de lesa humanidade [incluindo esterilização forçada] contra o povo mapuche e prisão de líderes indígenas. Isso para não falarmos da larga lista de crimes de lesa humanidades cometidos pelos outros países que integram essa organização. Por exemplo, o Brasil é o campeão mundial em assassinatos de defensores de direitos humanos, do Peru campeão mundial no assassinato de indígenas e camponeses e ou Colômbia que é campeã de narcotráfico e possuí 6 milhões de refugiados internos.

Os golpes de Estado continentais sabotaram o projeto de integração latino-americana e deixou inativa a UNASUL, enquanto os governos alinhados à Washington foram se retirando dessa organização. O primeiro a se retirar foi a Colômbia, o mesmo fizeram Argentina, Peru, Paraguai, Brasil e Equador. E até a sede no Equador construída especialmente para UNASUL é alvo de uma ação judicial movida pelo governo traidor e golpista de Moreno.

O PROSUL é parte do projeto de golpe de Estado continental dos Estados Unidos contra os países da América Latina e Caribe. Visa defender os interesses norte-americanos predominantes sobre os interesses da região, justificando a subordinação da região e sepultando da integração latino-americana.

Não é a primeira vez que o Imperialismo norte-americano e as classes oligárquicas latinas criam organizações paralelas para fomentar a divisão. Por exemplo, Já havia acontecido com a União do Pacífico que servia para contestar as organizações já existentes na época. O PROSUL é unicamente para cria uma nova organização paralela e dividir a região no sentido de enfraquecer a UNASUL. Por isso, os governos de golpistas entrincheirados no novo “Cartel de Lima”, PROSUL, necessitam taxar a UNASUL de ultrapassada, burocrática e ideológica, quando cinicamente foram estes mesmos governos que boicotaram a organização.

Para esses governos do PROSUL a “integração” regional significa ampliar os lucros das oligarquias de cada nação, não interessa o desenvolvimento tecnológico, industrialização e desenvolvimento humano e social dos povos latinos. Tudo é feito para garantir o controle dos EUA e dos países Europeus que tem grandes interesses geopolíticos na América latina.

Contrariando a UNASUL, que é inclusiva e que não se importa com as diferenças ideológicas, o PROSUL se apresenta declaradamente de direita. O UNASUL foi uma grande conquista das ações latino-americanas, impulsionada por líderes progressistas na região, em 2008. Nessa época, conseguiram unificar todos os países do continente, não importando as suas diversas linhas ideológicas e agendas políticas. Todos se comprometiam em trabalhar pela integração, cooperação e soberania regional.

O grande obstáculo para o projeto de integração regional é o imperialismo e a existência de uma classe [econômica e militar] oligárquica e burguesa subserviente e sem projeto nacional. Um exemplo dessa política é Honduras, após o golpe de 2009, foi instalado um governo fantoche de Washington, onde quem governa é a embaixada dos EUA naquele país e quando ocorrem assuntos importantes viaja ao país o comandante do Exército Sul para ditar ordens.

Anúncios

Um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s