NOS ÚLTIMOS 20 ANOS, OS EUA INVADIRAM 9 PAÍSES E MATARAM 11 MILHÕES.

Em 24 de março de 1999, 20 anos atrás, A OTAN [Organização do Tratado do Atlântico Norte], iniciava o bombardeio criminoso contra a República Federal da Iugoslávia. Essa foi a primeira operação onde os EUA atropelaram o Conselho de Segurança da ONU. Isso ocorreu no mandato do Presidente Bill Clinton e envolveu 20 países agressores.

Como ocorre hoje com a Venezuela, a guerra foi disfarçada de “intervenção humanitária”. Se iniciava então a tática do pentágono de “balcanizar” países, sendo a Iugoslávia a primeira vitima. O país foi dividido e dominado pelo imperialismo.

Esta mentira de “intervenção humanitária” foi o prelúdio de uma série de outros ataques para promover “mudança de regime” que não são agradáveis aos Estados Unidos, com milhões de mortos no Iraque, Líbia, Síria. Nos últimos 20 anos, os EUA invadiram 9 países e mataram 11 milhões de pessoas.

Em 1998, um conflito armado estourou entre os apoiantes da independência albanesa do Kosovo e a Iugoslávia, uma vez que as milícias estavam buscando a independência para Kosovo e Metohija. No ano seguinte, a OTAN interveio no conflito sem a aprovação da ONU e começou a bombardear a Iugoslávia.

O ataque covarde contra a Iugoslávia é apresentado como um ato de auto-defesa extrema. A campanha de propaganda dizia ser uma” intervenção humanitária “para “salvar o povo do Kosovo”. O bombardeio da OTAN foi mais de 80% contra alvos civis. Casas, hospitais, locais de trabalho e escolas foram destruídas. Assim, a guerra abriu o caminho para a “mudança de regime” que se seguiu no outono de 2000. A resistência do governo de Slobodan Milosevic contra os ditames do Banco Mundial, FMI e Pentágono foi quebrada, e foi substituído por fantoches obedientes. Com a separação de Montenegro e mais tarde o reconhecimento do Kosovo governado por grupos terroristas, o território foi ainda mais desmembrado.

Preso por acusações infundadas sobre cometer uma “limpeza étnica” durante os ataques do imperialismo e com sua sua honra manchada pela mídia, o presidente sérvio veio a se suicidar na prisão em 2006. Dez anos depois, em 2016, o Tribunal Penal Internacional reconheceu sua inocência.

O resultado foi a divisão da Iugoslávia em seis países, ocupados, super endividados, com economias em ruínas e a perspectiva de novos conflitos e divisões.

A Sérvia, país herdeiro territorial e histórica da antiga Iugoslávia, abriu processo contra a OTAN. As autoridades da sérvia afirmam que a OTAN violou os princípios estabelecidos no 7º capítulo da Carta das Nações Unidas, que proíbe a agressão contra qualquer Estado. Além disso, a OTAN violou os capítulos 5 e 6 de sua própria carta, uma vez que é uma aliança defensiva e não ofensiva. Trata-se de uma violação do direito internacional, em particular das convenções que proíbem a agressão e o uso da força contra Estados soberanos.

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s