O Rio de Janeiro antes da Lava-Jato

Já não é de hoje que o editorial VORJ denuncia o caráter golpista e subserviente da Lava jato, apresentando de que forma ela vem destruindo pouco a pouco, de forma contínua e gradual, a soberania nacional, acabando com a indústria nacional e o bem estar da população, tirando o emprego do povo.

Diferentemente do que pregam algumas alas esquerdistas tanto da esquerda amarela quanto do campo golpista presente no que restou de partidos antigamente associados ao trabalhismo, o Rio de Janeiro não foi destruído pela corrupção dos governos do PMDB (Atualmente MDB), mesmo que tenhamos grandes divergências tanto políticas quanto econômicas dos modelos neoliberais implantados pelo governo criminoso do PMDB, a representação do dados sobre empregos antes dessa operação criminosa não representam o mesmo espaço.

Uma retrospectiva de 2003 até 2015 sobre os dados das regiões metropolitanas de Recife, São Paulo, Porto Alegre, Salvador, Belo Horizonte e Rio de Janeiro, obtidos no site do IBGE, mostra claramente como o Rio de Janeiro era outro antes dessa operação que teve por única e exclusiva ação no nosso estado a destruição do emprego e da indústria nacional, sempre em prol dos conglomerados estrangeiros, para novamente ocupar espaço de controle sobre o mercado.

Diferentemente do pregado pelos neoliberais, hoje em dia representados na imagem de Paulo Guedes, o “inchaço” do Estado que também o governador Wilson Witzel é mentiroso, já que terminado os anos de 2015 os “Estatutários”, grupo que está sendo cada dia mais atacado, não representava nem 12% da população ocupada. Verificando os dados referentes às outras regiões metropolitanas, esse número não chega nem a 16% do total.

O mais importante de se ressaltar quanto esses dados é que mesmo sobre o governo neoliberal, como foi o do PMDB, houve crescimento total de quase 15% da população ocupada na região metropolitana. O desemprego só começaria a avançar entre 2013-2014 (-0,3%) e de 2014-2015 (-1,1%). Em todas as regiões metropolitanas presentes houve substancial diminuição da população ocupada exatamente no período de 2014-2015, ano do início da Operação Lava-Jato.

Considerado o total das regiões metropolitanas, a mudança geral da situação da população ocupada no período de 2013-2014 (-1,3%) é duas vezes menor que o apresentado em 2014-2015 (-2,6%). Verifcando a amplitude nacional, o saldo nacional no mercado formal teve queda de 80% de 2013-2014 para 970% em 2014-2015, mais que 11 vezes o perdido no período anterior.

Um dado relevante para observarmos é que antes do advento da Lava Jato, o número de empregos gerados com carteira assinada entre 2003-2015 foi de cerca de 40%, e reduzido em 35% nos empregos sem carteira assinada. Quer dizer, houve uma transformação do emprego informal para o formal, criando maior segurança para o trabalhador, possibilitando o período com o maior número de greves em toda a história republicana e dando fôlego aos recursos previdenciários, amplamente atacados pelas ações criminosas da Lava-Jato.

Quando verificado com relação à raça, houve crescimento de 34,3% da população negra ocupada e redução de 4,7% da população branca ocupada, mostrando também além da clara ação racista dessa operação.

Não devemos nos enganar: o único papel cumprido pela Operação Lava-Jato foi a destruição do emprego e da renda no país. Na região metropolitana do Rio de Janeiro, ela é responsável direta e indireta pela redução de milhares de empregos. Exigimos o fim da Lava Jato para retomar a geração de empregos voltar a desenvolver a indústria nacional.

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s