Cármen Lúcia mostra seu lado golpista novamente

Mais uma vez o STF é palco da continuidade do golpe institucional perpetrado no Brasil. Dessa vez, a ministra golpista Carmen Lucia tenta adiar o julgamento do habeas corpus do presidente Lula, marcado para a próxima terça (25), retardando ainda mais a sua devida liberdade.

O julgamento do HC entrou na pauta do STF após o vazamento da troca de mensagens entre Sério Moro e Deltan Dellagnol, que comprovam o conluio entre juiz e procurador lavajatistas, já que o juizeco de Maringá instruiu o processo, sugeriu testemunhas, entre outras coisas, agido de forma totalmente parcial. A defesa do presidente Lula anexou ao pedido de HC as reportagens do The Intercept Brasil, que indicam que o ex-juiz atuava em conluio com a acusação. Enquanto isso, a ministra Carmen Lúcia, em entrevista, demonstrava que o seu voto seria contrário ao HC, corroborando com a narrativa da Lava Jato que insistiu em suspeitar dos vazamentos e da veracidade dos documentos divulgados pelo The Intercept Brasil.

A ação foi incluída como o terceiro item da pauta a ser julgada. No entanto, a ministra traidora irá presidir a sessão, e incluiu novas matérias, colocado o HC no décimo segundo lugar da lista, podendo acarretar no adiamento do julgamento por falta de tempo na sessão. É importante lembrar que, ainda que estejam ao lado golpe, os ministros do STF vem sendo constantemente ameaçados pelos militares covardes.

O adiamento do julgamento é uma tática para tentar ganhar tempo para os lavajatistas arrumarem novas formas de se esquivar das acusações de parcialidade, tentando criar desculpas menos esfarrapadas, se isso for possível.

A verdade é que a liberdade do presidente Lula representa o fracasso da operação Lava Jato, pois assim as mentiras da operação golpista cairão de vez por terra, e o entreguismo do golpe perderá força e apoio da população iludida pelas farsas lavajatistas.

A golpista não é a única agente do golpe dentro do Supremo. Em trecho do vazamento divulgado fica clara a participação do ministro Luiz Fux no acordo do golpe, o que mostra a motivação do mesmo ao impedir a entrevista do presidente Lula ainda antes das eleições. Obviamente, o grande acordo da lava jato não se estende apenas ao Fux e à Carmen Lucia.

Também ficou mais clara a proteção da lava jato ao tucanato, já que em determinado trecho da conversa, o capanga Dallagnol pergunta a Moro se deve divulgar os crimes de Fernando Henrique Cardoso na mídia para fingir imparcialidade, ao que o chefe responde que não se deve “melindrar” alguém que pode dar seu apoio à operação.

A proteção aos psdbistas já era óbvia, mas diante do exposto acaba por ser um fato irrefutável, e mostra alguns porquês do FHC ter desmerecido as informações vazadas.

A desmoralização da lava jato é crescente, e deve-se aproveitar o momento de crise para libertar o presidente Lula e enterrar de vez esse braço golpista para que o país começe a recuperar ao menos um pouco de sua dignidade.

Atualização (24/06/2019: 17:23):

A pauta sobre o Habeas Corpus de Lula foi retirada da pauta do STF pela ministra em questão sem que se explicasse o motivo. O processo, se voltar à pauta, só ocorrerá em agosto, uma vez que o STF entra em recesso durante o mês de julho.

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s