Para o PIG, discursos de Bolsonaro sempre foram IBOPE

Polêmicas de Bolsonaro podem afetar votações no Congresso e ânimo de investidores, avaliam líderes e empresários.” – G1 (Globo.com)

Não estranhamente a persistência política pró midiática que fortaleceu a criação do “Mito” em torno de Bolsonaro se mantém como a linha política da esquerda nacional, vislumbrada constantemente em se pautar a partir da mídia televisiva, impressa golpista e de internet – principais espaços onde se pode pautar o moralismo despolitizante – mas precisamos entender além dos erros gerais entender como se cria um mito.

Não foi a toa a presença de Bolsonaro no programa “Super Pop!” em 2011, com pautas bem comuns e totalmente despolitizadas no programa como a “Questão Gay” – Como definido pelo próprio programa – colocando a causa da homofobia sobre uma ótica meramente de uma “criação rígida” e sobre a ótica militar de hierarquia local, essa foi um dos inícios da abertura midiática, que foi claramente assumida como a linha política da eleição de Bolsonaro, para um ataque direto as políticas populares dos governos petistas, eram já duas eleições ganhas por Lula, que saía com uma popularidade de 87% do país em 2010, e uma eleição ganha por Dilma mesmo a todos os ataques contínuos da linha neoliberal que tinha o PSDB como força motriz.

Desde então passando continuadamente pelo programa da “RedeTV”, cujo apoio político visava sempre homens como Bolsonaro, Luciano Hang (“Velho da Havan”) e os filhos de Bolsonaro até a programas com conteúdos ditos de um “Humor Inteligente” como o CQC – da Rede Bandeirantes – que tiveram influência direta sobre a exposição visual de Bolsonaro a população sem a criação de um contraponto político aos posicionamentos radicais e absurdos do mesmo, pelo contrário todo o momento era apresentação do mesmo em torno de discussão sobre LGBT’s (onde a todos os momentos o mesmo se apresentou homofóbico), sobre negros (onde sempre apresentou políticas sociais que afetavam os negros, dando direcionamentos a falas racistas) e sobre mulheres (onde sempre se apresentou políticas sociais que mantinham mulheres sobre a exploração do capital sobre a ótica da família nuclear cristã).

A nenhum momento foram apresentados políticas contrárias pelas mídias que pautavam Bolsonaro em seus programas comuns, lembrando que nunca sobre uma ótica de discussão política ou de fundo jornalístico, ou seja, Bolsonaro foi construído pelo PIG (Partido da Imprensa Golpista) para ser exatamente isso, um falador de besteirol e de frases preconceituosas contra as classes sociais mais exploradas, nunca confrontado de forma política, sempre de forma moral. Bolsonaro aprendeu corretamente e faz a mesma coisa que aprendeu desde anos atrás, fazer mídia e “burburinho” para fazer todos se distanciarem da discussão política.

  • De qual lado estava a mídia televisiva sobre a questão da regulamentação do trabalho das domésticas?
    R: CONTRA, então por agora se incomodam com as falas de Bolsonaro contra mulheres?
  • De qual lado estava a mídia sobre a questão da população mais pobre e miserável do país?
    R: CONTRA, então por que agora criticam o apoio de Bolsonaro a diminuição de direitos trabalhistas e os discursos xenofóbicos?
  • De qual lado estava a mídia sobre a questão dos direitos trabalhistas dos LGBT quando a Globo despediu uma transexual do programa “Amor & Sexo” para dar ainda mais cargo à apresentadora do mesmo programa?
    R: CONTRA, então por que se preocupa agora com os discursos homofóbicos e/ou transfóbicos de Bolsonaro?
  • Qual mídia, que cresceu durante a ditadura apoiando a exploração e humilhação de militantes políticos e da população mais pobre do pais, foi condenada a pagar por seus atos contra a democracia naquela época?
    R: NENHUMA, então por que se preocupam tanto com as falas de Bolsonaro lembrando os atos da ditadura militar? A BAND e a GLOBO esquecerem seu papel sobre o controle social e apoio político e social em troca de dinheiro durante a ditadura? Quantos milhões foram gerados pelo PIG a partir do sangue da população brasileira?
  • Qual a posição da OAB perante o golpe, impeachment ilegal e criminoso, contra a presidenta eleita Dilma Rousseff?
    R: APOIOU, e além disso PROTOCOLOU também uma pedido de impeachment contra a presidenta pelo “Conjunto da Obra” mesmo com todo o processo sendo ilegal pela mesmo não ter sido responsabilizada pelo ato criminal encaminhado no protocolo. Então por que se preocupa AGORA com os rumos da finada Democracia Brasileira?
  • Qual a posição do STF perante o golpe , impeachment ilegal e criminoso, contra a presidenta eleita Dilma Rousseff?
    R: APOIOU, dando prosseguimento legal a um processo jurídico ilegal, colocando-se como “Termo Neutro” durante todo o processo do impeachment.

A imprensa, que deu amplitude midiática e construiu o mito, vê agora que precisa de alguém mais eficaz na presidência. As brigas contínuas contra o “dono da bola” das pautas que estão destruindo os direitos da população e do trabalhador Brasileiro, Rodrigo Maia (DEM, antigamente PFL, antigamente PDS, originalmente ARENA – O partido controlador da Ditadura Militar), precisam continuar como pautas para dar tranquilidade do direcionamento político. No entanto, o destempero piorado de Bolsonaro (que estranhamente parece que a mídia só descobriu agora que durante a vida política inteira o mesmo nunca se colocou como impessoal e cumpridor do decoro parlamentar) pode atrapalhar o andamento político pois os exageros podem trazer atrasos não toleráveis, como ocorridos por Temer devido a sua incapacidade de se tornar popular.

A proposta da mídia é condenar Bolsonaro moralmente, não politicamente. Assim como o “Mito” foi construído, ele pode ser “Desconstruído” para que a política se mantenha a mesma. A mídia não quer condenar Bolsonaro pelos deslizes contra a democracia, já que ela mesmo nunca defendeu a democracia: o que ela faz é, novamente, direcionar a “Esquerda Amarela” para um debate moral, onde a política é deixada de lado ao melhor estilo “Janaina e Freixo trocando elogios”, culpando Bolsonaro por suas falas que remontam muitos anos e que a mesma nunca tratou como algo condenável politicamente, mas sim como uma atração do dia num programa “de Família”.

Não podemos caminhar na mesma onda do “Forismo”, não pode existir um “Fora Bolsonaro”: o caminhar da luta precisa ser CONTRA O GOLPE e LULA LIVRE pois Bolsonaro foi o “Boneco de Ventríloquo” que o PIG usou para atacar as políticas socioeconômicas populares implantada pelos governos petistas.

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s