Abaixo as sanções Imperialistas! Os militares são todos traidores da Pátria

Em 2014, durante o governo Dilma, o Brasil lançava seu primeiro foguete com 100% de tecnologia nacional de Alcântara (Maranhão). Menos de um ano depois, o Brasil colocava em órbita o cubesat AESP-14 e posteriormente adquiriu o satélite geoestacionário da Telebras desenvolvido no país. Quando finalmente parecia que o Brasil conseguiria superar as décadas de obstáculos e sabotagem ao seu programa aeroespacial por parte dos Estados Unidos, os Militares, em conluio com a Lava-Jato, deram um golpe de Estado, derrubaram o governo nacionalista e liquidaram o programa espacial brasileiro.

Além do desmonte da indústria naval e petroquímica, o governo golpista cortou 40% do orçamento para FAB (Força Aérea Brasileira) o que atinge diretamente as pesquisas da instituição. Em 2010, o orçamento da INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) era de R$ 326 milhões, com o golpe, em 2017, o orçamento encolheu para R$ 108 milhões. Já o quadro de funcionários reduziu em 25%. Em 2018, o governo golpista cortou mais 39% do orçamento do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, incluindo o INPE e a Agência Espacial Brasileira. Se soma nesse quadro a privatização do satélite brasileiro, a entrega da Base de Alcântara e o boicote ao projeto de aquisição dos caças Gripen suecos.

Os militares, para simular um falso nacionalismo, mesmo depois de terem privatizado o satélite brasileiro e recentemente terem colocado na lista das privatizações a Telebras, questionaram os dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), chegando ao ponto de intervirem no órgão e exonerarem o seu presidente, Ricardo Galvão.

Os militares, que em tese deveriam proteger a nação, atacaram a soberania brasileira a partir do momento em que, em conluio com o Departamento de Justiça dos EUA e seu braço judicial no Brasil, ou seja, a operação golpista Lava-Jato, derrubaram o governo nacionalista de Dilma Rousseff, desmantelaram a industria e ciência brasileira, impuseram uma Ditadura ao Povo e pior, de maneira criminosa e irresponsável colocaram a vida do povo brasileiro em risco ao fomentarem a farsa da suposta “ajuda humanitária” na Venezuela, em fevereiro deste ano.

As Forças Armadas foram tão longe na subserviência que entregaram uma parcela do território nacional ao imperialismo norte-americano. Permitiram que os Estados Unidos treinassem seu Exército dentro da Amazônia brasileira, expondo táticas de defesa e o conhecimento do território. Além disso, equiparam todo sistema de defesa aérea da região com sucata dos EUA, sem compartilhamento tecnológico.

É asqueroso o entreguismo das Forças Armadas. Eles chegaram ao disparate de colocar como funcionário do Exército Sul dos Estados Unidos um general brasileiro. Nesse sentido de desarmar o Brasil, esses traidores da pátria desarticularam o Comando Sul Americano de Defesa, colocando o país expostos às pressões da 4° Frota Norte-Americana. Além disso, aceitaram que nosso país integrasse esse organismo obsoleto e criminoso que se chama OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte).

Utilizando o álibi dos incêndios na Floresta Amazônica, o Imperialismo Norte-Americano e Europeu quer impor sanções econômicas contra o povo brasileiro. O Presidente da França, Macron, convocou reunião do G7 nos próximos dias para ameaçar o Estado brasileiro com sanções econômicas que visam penalizar a indústria agropecuária e que terão desdobramentos incalculáveis contra o já sofrido povo brasileiro.

Os governos da União Européia, nas últimas décadas, impuseram o desmonte do Estado de Bem-Estar Social e o programa neoliberal, com o intuito de reabilitar a autoridade politica, tais governos utilizam a pauta ambientalista.

Desde junho de 2013, com o ensaio da Revolução Colorida (Jornadas de Junho) promovida e financiada por multinacionais e governos estrangeiros (Estados Unidos e União Européia), que o Brasil entrou em crise social, econômica e política. Foi o imperialismo, que através do golpe de Estados de 2016, impôs a Ditadura do miliciano ao Brasil.

Contra a vontade soberana do povo brasileiro de eleger o presidente Lula, a CIA e Lava-Jato sabotaram o país e garantiram a farsa eleitoral que culminou com a chegada dos militares ao Poder. A crise gerada pelo golpe não é do povo brasileiro, mas sim dos governos dos países imperialistas que derrubaram nosso governo. Devemos esclarecer o papel dos EUA e Europa no golpe de Estado, expondo as relações entre os golpistas do Brasil e os governo imperialistas.

Para aqueles que são oposição aos golpistas, é bom ter claro que em nenhum lugar do planeta um governo foi derrubado através de sanções econômicas. As sanções unilaterais impostas pelos países imperialistas tem objetivo de atacar a economia e prejudicar o povo, afim de forçar uma mudança de Regime. Por exemplo, desde 2017, na Venezuela as sanções econômicas causaram a morte de 40 mil pessoas.

As sanções tem implicações nefastas na sociedade. Por conta da política neoliberal do golpe, parte considerável dos produtos manufaturados são oriundos de exportação. As sanções implicariam na escassez de produtos de maior valor agregado, como por exemplo: medicamentos, eletrônicos, robótica, entre outros.

Abaixo as sanções unilaterais contra o Brasil!

Abaixo o golpe de Estado!

Amazônia é do povo brasileiro!

Abaixo os militares entreguistas!

Lula Livre!

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s