Vitória esmagadora de Putin: Rússia denuncia ingerência dos EUA em Eleições

No domingo, dia 8 de setembro, milhões de russos foram às urnas eleger governadores e deputados. A BBC internacional, vigorosamente russofóbica, divulga Partido de Putin, Partido Rússia Unida, perdeu um terço de seus votos nas eleições locais da Prefeitura de Moscou. A oposição obteve vinte lugares no Parlamento de Moscou, Duma. Porém, o partido do governo, ganhou em 45 dos 19 distritos da capital russsa, mantendo a maioria da Duma.

Entretanto, o governo de Putin está satisfeito, isso porque no conjunto do país o governo recuperou terreno, se compararmos com as eleições realizadas no ano passado. Os governadores governistas e outros candidatos apoiado por Putin foram eleitos ainda no primeiro turno. Portanto, foi uma esmagadora vitória fora de Moscou.

PARA SABOTAR AS ELEIÇÕES EUA PROMOVERAM MANIFESTAÇÕES

O que está acontecendo agora mesmo em Hong Hong não é exclusividade. No mês passado, a Rússia foi vítima de uma espécie de “Revolução Colorida”. Nesse sentido, o Conselho da Federação, ou seja, o Senado da Rússia, confirmou a presença da ingerência estadunidense no processo de eleições regionais, realizado no último dia 8 de setembro.

Diferentemente do que fizeram os congressistas norte-americanos, que acusaram Putin de ingerir na eleição de Trump, o Senado russo apresentou indícios da interferência norte-americana.

Um dos pontos centrais da ingerência gringa estava nas eleições para a Duma da Capital. Em relação a protestos organizados pela chamada oposição não sistêmica, onde os organizadores são veiculados a potências imperialistas. Inclusive com reuniões públicas entre líderes do movimento e agentes governamentais da União Européia.

O Senado Russo detectou que ONGs estrangeiras que atuam na Russia, contrataram ONGs russas para promover esses protestos. Tudo deveria parecer que eram “protestos espontâneos” e “sem partido”. Essas entidades tentaram influenciar membros da Comissão Russa de Direitos Humanos e professores e técnicos de universidades.

O seguinte ponto foi uma campanha orquestrada pela imprensa internacional, onde apresentaram os protestos, com o objetivo de dar destaque a reação das autoridades russas na contenção de manifestações que ocorrem violando as leis do país. Foi feita uma relação direta entre a pauta das manifestações com a plataforma eleitoral de partidos da oposição.

Outra via de atuação do Imperialismo, na sua sanha golpista, foi a realização de milhares de ataques cibernéticos contra a segurança do Estados. O rastro dos ataques apontam para bases nos EUA.

PROPAGANDA POLÍTICA DO GOOGLE E FACEBOOK PARA OPOSIÇÃO GOLPISTA

As empresas Google e Facebook atuaram no domingo para impulsionar a pauta política da oposição. As duas empresas faziam referência ao “Dia do Silêncio” em seus mecanismos de busca. Segundo a lei russa é proibido fazer propaganda política no dia das eleições, um método comum em diversos países do mundo.

BACHELET SE COMPORTA COMO FUNCIONÁRIA DOS EUA

Nesta segunda-feira, a Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, pediu uma investigação sobre o “uso excessivo” da força pela polícia russa na repressão das manifestações durante as semanas que antecederam essas eleições. A dupla moral da Comissária fica evidente quando não foi proferida nenhuma palavra sobre a violência policial contra os jalecos amarelos na França ou das flagrantes violações dos Direitos do Presidente Lula.

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s