PEC do Pacto Federativo desrespeita o poder constituinte de 88 e regulamenta o fim da República

Após diversos ataques diretos aos direitos trabalhistas e sociais feitos pelo governo ilegítimo de Bolsonaro com apoio direto dos militares na figura do GSI, de grupos neopentecostais e nos partidos antinacionalistas e lavajatistas que apoiaram diretamente a figura do Bolsonarismo.

Atualmente, com a apresentação na América Latina de movimentos populares e nacionalistas por direitos sociais presentes na defesa dos governos de Evo Morales e Nicolás Maduro, nas revoltas por uma constituinte no Chile e pela defesa contínua da liberdade e inocência de Lula mostrou aos golpistas e ao imperialismo que há um claro descontentamento popular não com os governos de esquerda e sim com o sistema, mostrando que se organizam correntes contra os avanços do imperialismo.

Na imagem do lado que se apresenta como “Moderado”, o PSDB encabeçado por Tasso Jereissati, um dos homens de “confiança” de Ciro Gomes no CE, não se difere muito da proposta golpista de avanços antipovo a partir do fim da república de 88.

A PEC do Pacto Federativo, de autoria de Tasso, é um novo ataque direto a constituição brasileira, mostrando claramente que os núcleos golpistas não possuem mais nenhum respeito ao poder constituinte.

Na figura de um novo “poder moderador”, a proposta dos golpistas é retirar cada vez mais a possibilidade de se governar para o povo, destruindo por inteiro a responsabilidade social do estado presente na Constituição Federal. Já no início da PEC ocorre um ataque direto sobre os direitos básicos de todo o ser humano e importantíssimos para a reconstrução de uma nação soberana e popular.

Iremos, de forma didática, apresentar a partir de dois textos onde, como e porque os núcleos golpistas, antinacionais e antipovo, estão apresentando um novo regime para o futuro do povo a partir do golpe ocorrido contra o governo legítimo de Dilma Rousseff e a prisão ilegal contra o presidente Lula para impor a eleição de Bolsonaro a partir de um golpe de estado.

Em cada citação da constituição será apresentado as alterações propostas pela PEC, em negrito estarão as novas mudanças propostas.

Art. 6º São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o transporte, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição. 

Parágrafo único. Será observado, na promoção dos direitos sociais, o direito ao equilíbrio fiscal intergeracional.

Constituição Federal 88 com a nova formatação pelo Pacto Federativo

A proposta dos golpistas é impedir que um governo consiga atacar a PEC do Teto de Gastos, retirando a mesma de uma norma reguladora e a colocando como uma obrigação primária aos direitos sociais apresentados pelo poder constituinte, em bom português a PEC coloca que antes de assegurar os direitos básicos descritos acima vem o equilíbrio fiscal.

Tal medida terá por proposta a possibilidade de apresentar inconstitucionalidade para qualquer política social alegando inconstitucionalidade na CCJ (Constituição de Comissão e Justiça), retirando o poder legislador de apresentar políticas sociais como investimentos para as futuras gerações e instaurar a política constitucional para o fim de qualquer investimento social no país.

Retirado a obrigatoriedade do investimento em educação e saúde o governo instaura na sua constituição a privatização legal dos setores de educação e saúde, já que se não há obrigação do direito social nessas duas instâncias fica liberado ao poder privado a agir onde o poder público não for capaz de agir, vamos retornar novamente a realidade social vivida na época da Ditadura Militar e dos governos FHC (do PSDB de Tasso, alinhado de Ciro Gomes) quando o nordeste era visto como o lixo do país, reduto da miséria que se tornou outra realidade a partir dos governos de Lula e Dilma.

Art. 20. São bens da União:

§ 1º É assegurada, nos termos da lei, à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios a participação no resultado da exploração de petróleo ou gás natural, de recursos hídricos para fins de geração de energia elétrica e de outros recursos minerais no respectivo território, plataforma continental, mar territorial ou zona econômica exclusiva, ou compensação financeira por essa exploração.

§ 3° Para assegurar o fortalecimento da Federação, a União transferirá parte dos recursos de que trata o § 1 o que sejam de sua titularidade a todos Estados, Municípios e ao Distrito Federal, cabendo à lei estabelecer percentuais, base de cálculo e condições, bem como disciplinar critérios de distribuição que contemplem, entre outros, indicadores de resultado.

§ 4° É vedada a utilização dos recursos de que trata o § 3° para pagamento de despesa com pessoal ativo, inativo e pensionista

Constituição Federal 88 com a nova formatação pelo Pacto Federativo

Essa proposta se torna o complemento da proposta da mudança do Art. 6°, ao poder executivo e legislativo será impedido qualquer possibilidade de usar recursos públicos para obrigação do pagamento de despesas sociais com salários. Lembremos que com os avanços da Lava-Jato, o emprego e os recursos públicos foram praticamente desidratados, principalmente no estado do RJ. Com essa mudança constitucional, o governo instaura que retirar recursos do lucro da extração de Petróleo e Gás não poderá nunca mais ser usado como forma para pagamento de trabalhadores e aposentados. O Brasil inaugurou na constituição o direito a “Dar o Calote”.

Art. 29-A. O total da despesa do Poder Legislativo Municipal, incluídos os -subsídios dos Vereadores e os demais gastos com pessoal inativo e pensionista, não poderá ultrapassar os seguintes percentuais, relativos ao somatório da receita tributária e das transferências previstas no § 5° do art. 153 e nos arts. 158 e 159, efetivamente realizado no exercício anterior:

Constituição Federal 88 com a nova formatação pelo Pacto Federativo

O governo, para definitivamente acabar com o pouco de liberdade que os municípios do país possuem, além da sua proposta insensata sobre a fusão dos municípios, estabelece o fim ao direto de auxílios aos pequenos municípios do país pela constituição e coloca que a despesa dos municípios somente poderá ser feita a partir de três fontes:

  • Imposto sobre o Ouro (§ 5° do art. 153)
  • Arrecadação do municípios (Art. 158)
  • Repasse mínimo da Federação (Art. 159)

Além da limitação do Teto de Gastos a constituição nacional impedirá totalmente qualquer outra proposta de repasse aos municípios, acabam todas e qualquer possibilidades de medidas para auxílio do governo federal aos municípios, obrigando os mesmos a uma fusão forçada (caso a sua proposta de fusão não saia) centralizando ainda mais os recursos em grandes centros comerciais e urbanos, dificultando ainda mais o investimento em áreas rurais e cidades com pequenas populações e/ou distantes.

Não se esperava nada mais pelos autores da matéria em questão. A proposta do golpismo é limitar todo e qualquer governo progressista de um avanço substancial dos direitos sociais, como ocorrido durante os governos petistas, pela instauração de uma constituição que diga exatamente o que o imperialismo deseja a nação: o fim de toda e qualquer possibilidade de soberania nacional e uso dos recursos públicos para a construção de um governo popular e nacionalista.

Não por menos a população Chilena hoje vai às ruas pedir uma nova constituição. Assim como Pinochet construiu empecilhos para a reconstrução de um nação soberana no Chile, Bolsonaro e o governo do GSI estão instaurando uma constituição que impeça o que o governo Lula fez após quase uma década de subserviência do PSDB. Não haverá vitória aceitando este governo que acabou com a República de 88 e agora quer o colocar como democrático uma constituição remendada que não reproduz os anseios sociais da constituinte de 88 a partir da PEC do Pacto Federativo.

Um comentário

Deixe uma resposta para maria das graças Sousa Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s