General Pujol é um soldado inimigo dentro do país, Luis Nassif!

Novamente, a chamada mídia progressista promove uma histérica campanha de defesa do golpe de estado e trás discussões sem sentido. Dessa fez, o Site GGN, em artigo de Luis Nassif chama o general Edson Leal Pujol de legalista e profissional. O artigo foi republicado pelo DCM, Brasil 247 e outros sites de imprensa alternativa. Esse artigo é absolutamente ridículo, idiota e perigoso!

Nassif, de forma consciente ou inconsciente (não importa), é parte do esforço da burguesia de reabilitar as Forças Armadas que estão desmoralizadas e mergulhadas nos crimes promovidos pelo golpe de Estado: Intervenção do Rio, tráfico de 39 kg cocaína no avião Presidencial, fuzilamento de civis, apoio as milícias, assassinato da Marielle e outros crimes.

É a mesma narrativa infundada usada pelo Nassif e outros que chamavam Villas Bôas, hoje assessor do Gabinete de Segurança Institucional, de “constitucionalista”. O objetivo é atrair a esquerda para um apoio aos militares.

Em primeiro lugar, não existe legalidade em meio de um golpe de Estado continuado. Em segundo lugar, mesmo se desconsiderarmos todo o histórico de golpes de estado, traição e subserviência aos Estados Unidos das Nossas Forças Armadas, basta observar os atos do general Pujol para identificar que essa narrativa de “legalista” é irracional.

Em um vídeo recentemente divulgado, enquanto o general Pujol grita desvairado, ele ostentava sua insigma militar com o emblema da The Armor School, localizada no Forte Benning, Georgia.

Essa academia onde o Pujol se graduou é a antiga Escola das Américas, instituição do Exército Norte-Americano que treinou militares de toda a América Latina em aulas de terrorismo e roubo de propriedade em benefício do seu verdadeiro Exército, ou seja, o norte-americano.

Essa academia foi responsável por articular a Operação Condor, que durante a década de 1970, assassinou e torturou líderes políticos opositores e cidadãos por todo continente.

Que sentido constitucionalista há no golpe de Estado que derrubou o governo Dilma e que o general Pujol apoiou?

Que sentido legalista há no roubo de propriedade, destruição do nosso complexo industrial de defesa que Pujol e seus comparsas do Alto Comando promoveram?

Contra todos os fatos, traições e crimes essa narrativa de forçar uma oposição entre militares e o governo que eles controlam é ridícula.

O golpe já foi dado em 2016. É um golpe continuado sustentado por uma ditadura do governo do GSI, que o general Pujol é principal figura. A luta contra um hipotético golpe serve para defendermos o golpe atual, que se esconde atrás da faixada democrática.

Este Exército comandado por Pujol, Heleno, Braga Netto e Villas Boas é desprezível e inútil em todas as circunstâncias. Em qualquer país soberano, as Forças Armadas estão atuantes nas ações dos governos em apoiar e promover medidas efetivas contra a pandemia do Coronavírus, como por exemplo montar hospitais de campanha. Em vez disso, o general Pujol vai para o youtube gritar e fazer demagogia. A única funcionalidade desse general é ser capitão do mato e dar golpe de Estado.

Qual é o exercito que ele serve? Que exército nacionalista é esse que se gradua pelo exército inimigo?

Os norte-americanos que treinam nossos militares para tomar posições de poder dentro do nosso país. São militares norte-americanos dentro do Brasil e devem ser tratados como inimigos, assim como aqueles que tentam nessa situação reabilitar a moral de militares criminosos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s