O golpe militar só fecha com a destruição do PT e Lula

Por Gabriel Araújo

Na madrugada do dia 22 de abril o Supremo Tribunal de Justiça (STJ) através de sua Quinta Turma deu inicio ao julgamento de um recurso apresentado ao tribunal pela defesa do Presidente Lula, onde é questionada a manutenção da condenação e ampliação da pena de Lula no processo do triplex do Guarujá-SP, referendada por este tribunal.

O começo do julgamento se deu de maneira totalmente abrupta, mantendo a prática de lawfere característica da farsa jurídica chamada Operação Lava-Jato. O processo foi colocado na pauta pelo ministro relator Félix Fischer na madrugada do dia 22, sem que a defesa tivesse sido informada, algo que é previsto pelo regimento do STJ. 

O julgamento dos embargos de declaração ocorreria virtualmente sem que houvesse exposição oral dos ministros e da defesa. Os votos nesse caso seriam computados de maneira virtual até o dia 28 de abril.

Outro caso simultâneo que ocorreu nesse mesmo dia 22 foi a manutenção da data de julgamento dos embargos de declaração do Presidente Lula apresentados no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) relacionados à contestação da manutenção da condenação e ao aumento da pena no caso do Sítio de Atibaia. 

A data marcada para o julgamento (entre 27/04 e 06/05) havia sido anunciada no dia 14/04. A defesa tinha entrado com um pedido de adiamento, alegando a necessidade de que algumas questões relacionadas ao processo precisam ser apresentadas oral e presencialmente. Além do fato de que o julgamento dos embargos de declaração nessa ocasião, atropelam os julgamentos de recursos que deveriam ser averiguados antes dos embargos, seguindo a lógica burocrática do próprio tribunal. A defesa também pauta que é preciso ter cautela no trâmite do processo, já que o mesmo pode ser anulado no STF e que o processo de anulação ganhou mais força com a nova oitiva de Moro junto a Polícia Federal, visto que o conteúdo do depoimento do ex.ministro e ex.juiz pode conter questões que fortaleçam a tese da defesa de Lula.

Porém, como os fascistas de Curitiba não se pautam pela verdade e pela constituição, mantiveram o julgamento autoritário que terminou no dia 06 e também condenação do Presidente Lula, com o objetivo de manter uma sobrevida do Partido da Lava-Jato após os abalos sentidos com a retirada de Moro do Ministério da Justiça e Segurança Pública.   

No final do mês de março a Procuradoria Geral Eleitoral através do Vice-Procurador Geral Eleitoral, Renato Brill de Góes, deu parecer favorável para que seja aceito o processo de cassação do registro partidário do Partido dos Trabalhadores. O processo também é mais uma farsa que se fundamenta nas alegações absolutistas apresentadas pela Operação Lava-Jato.

A ofensiva judicial contra o Presidente Lula e o Partido dos Trabalhadores ocorrem em um momento político onde o povo clama pelo protagonísmo político do modo petista de governar, pois sabe muito bem que nas mãos dos militares e do partido da Operação Lava-Jato, só lhes restam duas opções: morrer de fome ou morrer doente com o coronavírus.

É evidente que será inevitável o processo de acirramento das contradições de classes e tudo indica que com o processo de degradação das condições de vida dos trabalhadores, as lutas de classes podem passar para um terreno mais aberto. Visto isto, os golpistas precisam necessariamente agir para debilitar as organizações da classe operária e suas lideranças para impedir que as amplas massas trabalhadoras sejam organizadas e dirigidas politicamente para o objetivo de por fim no golpe militar. E eles sabem muito bem que apenas o PT, a CUT e o MST, e suas respectivas lideranças comandadas pelo presidente Lula, tem autoridade e força junto aos trabalhadores para mobilizar esse processo. Por isso trataram de colocar em marcha a continuidade do fechamento total do regime político através do prosseguimento da perseguição das organizações dos trabalhadores.

Diferente da crise existencialista na esquerda pequeno burguesa, sobre a questão se existe uma ditadura militar no país ou não, os fatos, teimosos que são, ocorrendo com essa freqüência e com essa simultaneidade, não deixam margens para duvidas de que o que existe hoje no país é uma ditadura militar ilegítima, fascista e entreguista colocada em marcha para uma guerra contra o seu próprio povo e suas respectivas organizações.

O companheiro Lula mesmo sendo pressionado por um lado pela ala direita e burocrática nos movimentos políticos e sociais de “esquerda”, e por outro lado pelos avanços da perseguição jurídico-policial, para que sucumba à capitulação, deixou claro que assim como nas greves do ABC da década de 70 o enfrentamento aos patrões e a ditadura “tem de se repetir”. De acordo com o Presidente: “A verdade nua e crua é que um pouco de radicalização no século XXI vai fazer bem para a humanidade e para nós.” Revelando assim uma maturidade e uma consciência de que as saídas para os trabalhadores não vai vim das mãos dos patrões e só pode se materializar através das próprias mãos da classe trabalhadora. 

Portanto, as orientações do Presidente de Honra do Partido dos Trabalhadores, maior Presidente da República da história do país e maior liderança operária do mundo ainda viva, são claras: “A pandemia deixou o capitalismo nu. Foram necessários trezentos mil cadáveres para a humanidade ver uma verdade, que nós, trabalhadores, conhecemos desde o dia que nascemos. A tragédia do coronavírus expôs à luz do sol uma verdade inquestionável: o que sustenta o capitalismo não é o capital. Somos nós, os trabalhadores. É essa verdade, nossa velha conhecida, que está levando os principais jornais econômicos do mundo, as bíblias da elite mundial, a anunciar que o capitalismo está com dias contados. E esta mesmo. Esta moribundo. Está nas nossas mãos, nas mãos dos trabalhadores, a tarefa de construir esse novo mundo que vem aí.”     

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s