Informe sobre a situação da Guerra na Ucrânia

RÚSSIA REPORTA AS PRIMEIRAS BAIXAS DA GUERRA NA UCRÂNIA

O Ministério da Defesa russo, nessa quarta-feira, dia 02 de março, reportou as primeiras as baixas no lado ucraniano que somam mais de 2.870 mortos, 3.700 feridos e 572 soldados capturados, enquanto 498 soldados russos perderam a vida e outros 1.597 ficaram feridos.

Da mesma forma, foram destruídos 47 aviões, 484 tanques e outros veículos de combate, 63 lançadores múltiplos de foguetes, 217 peças de artilharia de campanha e morteiros, além de 336 veículos militares especiais e 47 veículos aéreos não tripulados (drones) da Ucrânia.

SEGUNDA MESA DE NEGOCIAÇÕES SE INICIA NA BIELORRUSIA

As delegações diplomáticas da Rússia e da Ucrânia se iniciaram na cidade de Gomel na Bielorrúsia. O assessor da presidência e representante da delegação russa, Vladímir Medinki, anunciou que a reunião avançou para “encontrar alguns pontos que podem proporcionar posições em comum”. As delegações se retiraram para consultas nas capitais e devem voltar a se reunir nos próximos dias.

Moscou afirmou que o reconhecimento de Kiev para estabelecer garantias de segurança já é um avanço. Também denunciou o papel exercido pelos Estados Unidos para atrapalhar as negociações de paz e pressionar os ucranianos para seguir uma resistência sem sentido.

TURQUIA, ESPANHA E HUNGRIA

O Presidente da Espanha, Pedro Sánchez, anunciou no Parlamento espanhol que vai enviar armas ofensivas para a Ucrânia. A atitude vem sendo criticada por políticos e militares espanhóis que afirmam que entregar armamento pesado para população civil não vai mudar o quadro da guerra, como também dificulta uma solução entre as partes.

A Turquia, integrante da NATO, alertou que não permitirá a passagem de navios militares por seus estreitos. Sob a Convenção de Montreux de 1936, o país tem soberania sobre os estreitos de Bósforo e Dardanelos, que ligam o Mediterrâneo ao Mar Negro. Segundo Ancara, a medida é para evitar a escalada do conflito e balancear a guerra entre Rússia e a Ucrânia. O presidente Erdogan também declarou que o país não vai renunciar as suas relações comerciais nem com a Rússia e nem com a Ucrânia.

A Hungria, outro país membro da NATO, afirmou que não permitirá trânsito ou fornecimento de armas para a Ucrânia. Também disse que não vai permitir o transito de nenhuma milícia ou grupo armado que tente entrar na Ucrânia utilizando seu país, disse o ministro das Relações Exteriores da Hungria, Péter Szijjártó.

CRESCE DENTRO DOS EUA DISSIDÊNCIA CONTRA A POLÍTICA IRRESPONSÁVEL DOS DEMOCRATAS

Cada vez mais, generais do pentágono e políticos norte-americanos tem se colocado contra essa política dos democratas de escalar conflito com a Rússia pela Ucrânia. Muitos tem considerado que a crise e resultado da negligência das reivindicações russas e que o conflito não interessa aos Estados Unidos. Essa opinião é compartilhada pelo militar Douglas Macgregor, por exemplo.

CONFRONTO ENTRE NATO E RÚSSIA É POSSIVEL

O vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, Alexander Grushkó, alertou para o aumento do risco de um conflito direto com a NATO. “Não há garantias de que não haverá incidentes, não há garantias de que esses incidentes possam escalar em uma direção completamente desnecessária”, disse insistindo nas garantias de segurança solicitadas por Moscou.

O PASSO ALÉM DAS SANÇÕES É A GUERRA NUCLEAR

Em entrevista para Al-Jazeera, o chanceler russo, Sergey Lavrov, assegurou que o presidente dos EUA, Joe Biden, sabe que não há alternativa às sanções, porque a outra opção seria a terceira guerra mundial que envolveria o uso de armas nucleares e seria destrutivo.

Por sua vez, o Secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken afirmou: “A Rússia e os EUA há muito concordam que o uso real de armas nucleares seria devastador e teria consequências devastadoras para o mundo inteiro”.

CHINA DIZ QUE NÃO VAI ADERIR AS SANÇÕES ILEGAIS DOS EUA

Guo Shuqing, presidente da Comissão Reguladora de Bancos e Seguros da China, disse em coletiva de imprensa que a China garante que não vai aderir às sanções impostas pelo Ocidente à Rússia pela crise na Ucrânia e denuncia que tais embargos “não têm base legal”.

“Quando se trata de sanções financeiras, não as aprovamos, especialmente aquelas lançadas unilateralmente, porque não funcionam bem e não têm base legal”, disse. O responsável chinês salientou que a política da China é clara e consistente face ao regime de embargos ilegais e unilaterais. “Não vamos participar de tais sanções. Continuaremos a manter as trocas econômicas e comerciais normais com as partes relevantes”, assegurou.

MÉXICO DENUNCIA CENSURA CONTRA A IMPRENSA RÚSSA

O presidente mexicano, Lopez Obrador, afirmou que o banimento dos canais Russos RT, Sputnik e colaboradores é censura. Condenou que não existir um duplo discurso na imprensa é falta de liberdade de imprensa. Obrador também afirmou que os Estados Unidos sempre pretendem se intrometer na política interna de outras nações, chamando-a de anacrônica, ofensiva e contrária ao direito internacional.

PETRÓLEO E OURO EM ALTA. EMPRESA DE INVESTIMENTO DOS EUA SE RETIRA DA EUROPA

Como resultados das sanções ilegais impostas pelos Estados Unidos à Federação Russa. O preço da energia elétrica, gás e petróleo dispararam em todo o mundo. O Barril de petróleo chegou ao preço mais alto desde 2014, sendo cotado à U$113, com tendência de seguir em alta nos próximos dias.

Na mesma forma, investidores e empresas buscam o comprar ouro como uma forma mais segura do que o dólar, diante da possibilidade do conflito na Ucrânia escalar. A alta do ouro chegou à 2,27% nos últimos dias.

A empresa BlackRock, maior empresa de investimentos dos Estados Unidos, afirmou que vai retirar seus recursos da Europa. A empresa indicou o risco da escalada de conflito e instabilidades políticas na região como motivos para a atitude da empresa.

CRISE DE REFUGIADOS NA ÚCRANIA DESMASCARA O RACISMO DA UNIÃO EUROPÉIA

Africanos, indianos e árabes denunciam racismo e discriminação ao tentar deixar a Ucrânia para a Europa. Policiais ucranianos agrediram refugiados indianos na fronteira com a Polônia. A emissora do Catar, Al-Jazeera, tem feito a cobertura dos casos.

O líder do partido Vox, Santiago Abascal, disse np Congresso espanhol que os ucranianos “são refugiados de guerra” e “devem ser bem-vindos”, e rejeitou as “invasões” de muçulmanos. O primeiro-ministro búlgaro Kiril Petkov disse que os ucranianos “não são os refugiados com os quais estamos acostumados”. O racismo tomou conta não só dos politicos europeus como também nos meios de comunicação, onde diversos meios de imprensa fizeram declarações preconceituosas contra os refugiados Africanos e Asiáticos.

A União Africana denunciou o tratamento desumano que os cidadãos africanos estão recebendo das autoridades europeias. O que caracterizou de racismo da União Europeia no tratamento dos refugiados.

RÚSSIA DA UMA LIÇÃO NO OCIDENTE E ANUNCIA UMA CAMPANHA HUMANITÁRIA NA UCRÂNIA

As autoridades russas estão organizando o fornecimento de ajuda humanitária à população ucraniana afetada pela operação especial militar, e as Forças Armadas estão prontas para garantir a segurança dos corredores humanitários caso Kiev aceite sua criação, afirmou o Ministério da Defesa russo. Já estão preparadas 10.500 toneladas de carga humanitária. O representante indicou que as Forças Armadas esperam a colaboração operacional da ONU, da OSCE e das organizações de defesa para a solução das questões humanitárias na Ucrânia.

Sabia que a partir de 16 centavos ao dia você ajuda a imprensa popular e investiga a se manter? Acesse www.apoia.se/vozoperariarj para saber mais.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s