Imprensa brasileira inicia campanha para pressionar Bolsonaro contra a Rússia

É sabido por todos que o governo Bolsonaro é fruto do golpe de Estado de 2016 e da fraude eleitoral de 2018, dois processos que os Estados Unidos impulsionaram e comandaram. Ambos apoiados pela mídia brasileira, ou melhor dizendo, pelo Partido da Imprensa Golpista (PIG). Sabemos também que quem comanda o poder no Brasil são os militares e Bolsonaro é apenas um porta-voz deles. Entretanto, para o mundo, o líder do Brasil é o Bolsonaro. Seus posicionamentos expressam o posicionamento do Estado brasileiro. 

Ainda no anúncio da visita de Bolsonaro à Rússia, para tratar uma agenda de Estado, que a mídia pressionou para o governo não fazer essa viagem, não se importou que com essa decisão poderia violar acordos comerciais e diplomáticos subscritos pelo Brasil. Apenas queria manter a propaganda norte-americana que a Rússia está isolada.

Desde o dia 24 de fevereiro, com o anúncio do início da Operação Militar Especial na Rússia em território ucraniano, que visa defender a soberania nacional da Rússia de agressões da NATO, a mídia brasileira tem pressionado o governo Bolsonaro para adotar posições contra Moscou. Essa pressão pode colocar o Brasil, que historicamente sempre adotou uma posição de equilibrar os conflitos mundiais, ao lado dos Estados Unidos, em uma posição perigosa se aprofundar a escalada do conflito.

Em 2021, o Brasil obteve U$5,7 bilhões no comércio com a Rússia, 62% corresponde ao comercio de fertilizantes, importante para impulsionar toda a cadeia do Agronegócio (dados da Secretaria de Comercio Exterior). Por enquanto, o Brasil compra predominantemente fertilizantes e vende carne, café e soja para a Rússia. O comércio de produtos mais sofisticados permanece em níveis muito baixos. Entretanto, acordos assinados no âmbito do MERCOSUL e dos BRICS vem buscando aprimorar sua cooperação em ciência, tecnologia e inovação com a Rússia.

O que a mídia quer exatamente? Porque devemos nos prejudicar para atender a histeria da propaganda norte-americana conduzida por um pseudo debate moral sobre direitos humanos? Sabemos muito bem, que desde o fim da Segunda Guerra Mundial são justamente os EUA os primeiros a promover massacres da população civil. Estão o tempo todo violando e o direito internacional. O que são as sanções dos EUA, se não medidas de violação de direito internacional?

Querem o Brasil expulse o embaixador da Rússia? Querem que fechemos os nossos portos e aeroportos para os russos? Querem que o Brasil aplique leis russofóbicas e expulsem cidadãos, empresas e a imprensa da Rússia, assim como estão fazendo os Estados Unidos e Europa? Querem que o Brasil aplique sanções contra a Rússia prejudicando a economia nacional, que já não vem nada bem? Querem uma saída do Brasil dos BRICS para comportar a histeria norte-americana de um conflito que eles criaram? Pior, querem que comecemos a atacar a Venezuela, maior aliado dos Russos na América Latina? A vassalagem frente os EUA é tão grande que a mídia perdeu qualquer senso da realidade.

A mídia brasileira está adotando uma posição muito perigosa com essa pressão ao governo brasileiro. Estão fazendo o trabalho sujo de do Partido Democrata dos Estados Unidos, que na sua histeria para impor o domínio mundial pode levar o mundo a uma escalada nuclear com a Rússia.    

O Bolsonaro está certo mais uma vez, a primeira foi com a questão de não permitir a ingerência estrangeira na Amazônia. Bem, não é exatamente o Bolsonaro, mas os militares que comandam o governo Brasileiro, estão tentando conter uma possível reação militar russa contra o Brasil, caso a guerra escale. Os russos sabem que os militares brasileiros são funcionários de Washington.

Os Democratas, que assaltaram o poder nos EUA com a fraude contra Trump, já mostraram que estão loucos na sua obsessão de construir um império global. Não querem um diálogo com a Rússia e estão jogando mais gasolina no incêndio, com sanções, enviando armas, milícias fascistas de todo o mundo e fazendo um cerco de censura a verdade sobre o conflito. Essa guerra é total responsabilidade dos EUA, que deram um golpe de Estado na Ucrânia em 2014 exatamente para atacar a Rússia e estão a mais de 30 anos negligenciando as reinvindicações de segurança Russas. Cercando o país com bases da NATO.

A narrativa de massacre de civis é uma farsa. A mídia não fala que a população etnicamente russa do Donbass está sendo bombardeada à 8 anos pelos nazistas de Kiev. Ao contrário, pegam imagens de casas bombardeadas e famílias separadas dessa região para usar na sua propaganda antirussia. O fato é, que a capacidade militar Russa já poderia ter destruído toda a Ucrânia se fosse empreendidas as mesmas táticas de terra arrasada que o Pentágono aplica nas suas guerras, como no Iraque, Afeganistão, Síria, Líbia, Somália, Iémen e tantos outros países. Putin tem levado uma operação muito cirúrgica, tomando muito cuidado para não atingir a população russa que vive na Ucrânia, porque isso teria impactos políticos na Rússia.

Os neoliberais da mídia brasileira são tão vassalos que não permitem nem a posição do neutralidade do Bolsonaro. Querem mostrar o serviço prestado aos cafetões do Partido Democrata dos EUA. A Rússia não é ameaça para ninguém, Rússia não está ai dando golpes e nem fazendo guerras pelo mundo, os EUA sim. Agora ela só está se defendendo.

A mídia ignora a realidade. A Rússia tem as Forças Armadas mais poderosas do planeta. Em termos de balística, segundo o Pentágono, os mísseis supersônicos e hipersônicos russos estão 15 anos mais avançados que os armamentos mais sofisticados da NATO. Hoje, a Rússia tem grande capacidade de empreender uma guerra à distância sem usar necessariamente suas armas nucleares e os EUA não tem nada que possa responder.

A mídia neoliberal esquece que do lado do Brasil temos a Venezuela. Maduro já adotou a política correta de apoiar a Rússia. A mídia brasileira já tem uma postura hostil à Venezuela, até hoje ela reconhece Guaidó como presidente autoproclamado. Em 2019, a mídia também apoiou a escalada de tensões contra a Venezuela, que ocasionou em conflitos na fronteira entre Brasil e o país vizinho.

Hoje, a Venezuela é um importante aliado estratégico da Rússia, tanto no campo militar e quanto no econômico. Se o Brasil adotar uma postura hostil à Moscou, para agradar e dar palanque para mídia brasileira na sua campanha histérica, o Brasil pode ser caracterizado como ameaça geopolítica aos interesses russos. Putin já deixou claro, se houver envolvimento dos Estados Unidos e seus aliados no conflito da Ucrânia, a Rússia vai responder militarmente à todos os aliados dos EUA de uma forma que eles jamais viram na sua história e de uma maneira inimaginável.

Depois dos EUA terem instigado o conflito e ter abandonado a Ucrânia, não é possível imaginar que os Estados Unidos vão nos proteger. Como se diz, “o problema não é ser inimigo e ser aliado dos EUA.”. Estados Unidos ao longo da sua história já provou em diversas ocasiões que eles não tem aliados, eles só tem interesses.

Sabia que a partir de 16 centavos ao dia você ajuda a imprensa popular e investiga a se manter? Acesse www.apoia.se/vozoperariarj para saber mais.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s