Rússia encontra assassina de jornalista Daria Duguina

Nessa segunda feita, dia 22 de agosto, O Serviço Federal de Segurança (FSB) da Rússia, afirmou em seu relatório conclusivo que o Serviço Secreto da Ucrânia (leia-se CIA) está por trás do assassinato da jornalista Daria Duguina, filha do filósofo russo Alexander Dúgin.

O atentado terrorista em Moscou foi executado por uma cidadã ucraniana, identificada como Natalia Vovk, que fugiu para Estônia após cometer o atentado bárbaro, onde tem proteção cúmplice do governo local.

A mulher ucraniana, que é militar do serviço secreto e integrante da organização nazista Batalhão Azov, chegou no território russo em 23 de julho, junto com sua filha de 12 anos para organizar o assassinato de Daria. Para entrar no território russo, a agente ucraniana usou um carro com a placa da República de Donetsk, que trocou por outra placa do Cazaquistão. A assassina fugiu da Rússia utilizando o mesmo veículo, mas agora com placa ucraniana.

A agente ucraniana alugou um apartamento em Moscou ao lado do prédio onde vivia a vítima. E durante semanas espionou a rotina de Daria.

No dia do assassinato, a agente ucraniana junto com a sua filha visitaram o festival de literatura onde estava Daria. O FSB concluiu que ela instalou uma bomba na parte interior do carro, ao lado do motorista, onde Daria estava ao volante. O explosivo foi detonado remotamente de acordo com o relatório final.

Um mandado de prisão foi emitido contra a assassina para sua extradição para a Rússia.

Por sua vez, o presidente Putin expressou suas condolências à família da falecida e descreveu seu assassinato como “vil e” cruel. Segue o comunicado:

“Um crime vil e cruel acabou com a vida de Daria Dúguina, uma pessoa brilhante e talentosa com um verdadeiro coração russo: gentil, amoroso, compreensivo e aberto. Jornalista, cientista, filósofa, correspondente de guerra, ela serviu honestamente às pessoas, à Pátria, demonstrou com atos o que significa ser um patriota da Rússia”.

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia também emitiu um comunicado afirmando que: “se confirma o rasto ucraniano e teremos de falar sobre a política de terrorismo de Estado levada a cabo pelo regime de Kiev”. “Fatos suficientes foram acumulados ao longo dos anos, desde apelos políticos à violência e envolvimento de estruturas estatais ucranianas em crimes”.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s