Tolo e Fraco: Gorbachev é modelo de presidente que EUA querem para os outros

No dia 30 de agosto de 2022, foi noticiada a morte do último presidente da União Soviética, Mikhail Gorbachev. No Mundo todo, os monopólios de imprensa, que ecoam a propaganda norte-americana, descreveram o ex-líder soviético como “um herói mundial” e “campeão da paz”. Ao mesmo tempo, que em alguns casos, não podiam esconder que o ex-líder soviético era impopular dentro da própria Rússia.

As razões pelas quais têm sido apontadas pelos dirigentes dos Estados Unidos e União Europeia, foram porque Gorbachev acabou com a Guerra Fria “sem derramamento de sangue” e levou ao dissolução da URSS, encerrando o período da Guerra Fria e iniciando a nova fase do mundo neoliberal e unipolar, sob hegemonia dos Estados Unidos.

Junto com isso, explicam que defendeu o controle de armas nucleares e implementou reformas orientadas para abrir a economia e a política soviética na década de 1980, cuja renúncia ao cargo de presidente da URSS, em 25 de dezembro de 1991, após o golpe de Estado de agosto de 1991, marcou o fim da URSS. A União Soviética deixou de existir no mesmo dia e foi formalmente dissolvida em 26 de dezembro por ordem do Soviete Supremo.

Gorbachev é lembrado por forjar alianças com Estados Unidos, Reino Unido e França para acabar com o Pacto de Varsóvia, que dividia a Europa desde a Segunda Guerra Mundial e, diante dos protestos que visavam mudança de Regime (onde podemos encontrar a CIA e o Vaticano por trás) nos países do Leste Europeu, a reação do líder soviético foi complacente e omissa, ao contrário de líderes anteriores do Kremlin que enviaram tropas para reprimir as revoltas na Hungria em 1956 e na Tchecoslováquia em 1968. Além disso, Gorbachev retirou as forças do Afeganistão, o que foi considerada como derrota para o Exército Soviético frente aos terroristas financiados pela CIA, que anos mais tarde resultaram no Talibã.

Ele também desmantelou o controle policial e abriu a imprensa, causando ainda mais desruptura na sociedade soviética, que já era constantemente assediada por operações de cover action dos EUA no seu território ( tal como a Operação Free The Radio), e encorajando os separatistas em diversas regiões da URSS para pressionar pela independência nas repúblicas bálticas da Letônia, Lituânia, Estônia e outros lugares. Esse processo desmantelou a URSS, surgindo 15 novos países, onde todas as Repúblicas Soviéticas decidiram por sair da Confederação Soviética, com exceção da Bielorrússia, governada por Alexander Lukashenko. Fazendo parte do processo chamado de “Balcanização”.

A Perestroika ou reforma do sistema social desregulamentou a economia, sua reformas resultaram no colapso da economia e da indústria soviética, abrindo caminho para receber o neoliberalismo nos anos de 1990, que deu origem ao que é hoje a Rússia. Podemos debater posteriormente se tudo isso foi planejado para acabar com o Socialismo na Rússia ou não, mas o fato são os seus resultados.

No seu governo o PIB da Rússia caiu 40%. O salário real passou pela metade. A pobreza passou de 2,2 milhões em 1987-88 para 66 milhões em 1993-95. Milhões morreram e foram jogados na pobreza sob o regime brutal de privatização e terapia de choque.

Gorbachev também foi responsável por fechar acordos com a NATO. Nesse acordo, Gorbachev e o então presidente dos EUA, Bush Pai, firmaram um acordo verbal, onde a NATO assumia que não se expenderia para leste com a Reunificação da Alemanha. O ex-presidente da URSS não exigiu nenhuma garantia, adotando uma postura fraca e vacilante, incompatível com a postura esperada de um chefe de Estado de uma potência mundial. Assim, a Guerra Fria não acabou, mas foi vencida pelos Estados Unidos que assinaram a promessa de não estender a NATO para o leste, ou seja, para as fronteiras da Rússia, mas eles fizeram exatamente o contrário. Desde então, foram 6 ondas de expansão (indo para a 7 com a entrada da Suécia e Finlândia), e o conflito que vemos hoje na Ucrânia foi justamente resultado das políticas erradas adotadas pela liderança soviética na época.

Em 1989, Gorbachev foi para Pequim e conheceu Deng Xiaoping, um promotor das reformas de mercado na China. No final da reunião, Deng disse à sua equipe: “Gorbachev pode parecer inteligente, mas na realidade ele é muito estúpido.”. O resultado das reformas pro-norte-americanas de Gorbachev não só restaurou o capitalismo na URSS, mas também desequilibrou gravemente a balança do poder mundial.

Ao confiar nos EUA na sua promessa de não expandir a NATO para o leste, lançou a pedra básica para as consequências sangrentas que ainda vemos hoje. Em resumo, um custo político muito alto para todo o Mundo. Desde 1990, os EUA e a NATO invadiram 9 países diretamente e levando à morte de 11 milhões de pessoas. Com destaque ao bombardeio criminoso contra a República Federal da Iugoslávia, essa foi a primeira operação onde os EUA atropelaram o Conselho de Segurança da ONU, diante de uma URSS fraca e em crise. Isso sem contar toda a política neoliberal, que leva a morte outros milhões de pessoas, e que foi implementada sem encontrar nenhuma resistência à altura em todo o mundo.

As populações de muitas nações queriam permanecer na União Soviética, embora a infiltração norte-americana fosse tão forte que levou à estabelecer governos profundamente repressivos que condenavam qualquer coisa que significasse socialismo ou progressismo. A prova do exposto é quando a Ucrânia, quebra a sua neutralidade através de um golpe de estado promovido pelo Pentágono (2014), a fim de destruir definitivamente o país e servir de plataforma para atacar a Rússia.

Por isso, para os Estados Unidos e UE, Gorbachev é o seu “herói”, mas para a Rússia é um traidor. Os EUA tem saudades quando os líderes soviéticos eram uns tolos e fracos como, Gorbachev, ou um bêbado, como Boris Yeltsin. Os EUA se alegram porque, com a derrubada da União Soviética, o neoliberalismo, com os EUA à frente, tomou à hegemonia mundial. Além do fato de ter entrado com virulência para se apropriar da economia de 15 repúblicas que compunham a extinta URSS, de mais 7 países do bloco socialista e impôs seus domínios no desejado Oriente Médio.

Gorbachev levou a União Soviética ao colapso, tornou-se desordenada e a luta pelo poder entre as diversas oligarquias fragmentaram o país. A unipolaridade capitalista do mundo globalizado e neoliberal não resolveu os problemas da humanidade. A URSS foi um fator de equilíbrio na geopolítica mundial e seu exemplo de política social, trabalhista e econômica serviu para muitos países criassem o sistemas de garantia de direitos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s