Brasil virou uma República de Bananas onde todos querem intervir

Um pequeno prologo, é nítido que o Brasil, desde 1964, é um país ocupado militarmente pelos Estados Unidos. Washington não usam seus marines para nos sitiar, mas sim nossas próprias Forças Armadas, com apoio das oligarquias, judiciário e complexos de mídias, que eles mesmo fundaram. Porém, é explicito e descarado o intervencionismo no Brasil.

Nessa quarta-feira, dia 21 de setembro, circulou na imprensa alternativas e nos grandes meios de comunicação uma Carta intitulada: “Carta abierta a Ciro Gomes: lo que hay que hacer para frenar a Bolsonaro”. A referida carta foi escrita por professores e políticos de governos pela América Latina, especialmente no Cone Sul (Argentina, Uruguai, Paraguai e Chile), com destaque ao ex-presidente do Equador, Rafael Correa.

Gostaríamos de destacar, jamais houve intervenção dessa proporção a nossa eleição, por isso, devemos repudiar o intervencionismo estrangeiro, que faz pressão internacional para que um candidato à Presidência do Brasil abandone sua candidatura. É intervencionismo quando políticos estrangeiros fazem campanha para um partido político do Brasil, no caso o PDT, não tenham seu direito de apresentar sua plataforma programática e elejam seu candidato Ciro Gomes, e principalmente a partir de uma mentira, com uma projeção alucinada, com base em pesquisas eleitorais, “que aponta a vitória do Lula no primeiro turno”. Se o PT não respeita seus militantes, não deve obrigar que o PDT faça o mesmo! O Lula joga goela abaixo suas alianças com PSDB e MDB, que até ontem, pela retórica petista eram chamados de golpistas e fascistas.

O PDT realizou suas convenções, seus filiados se debruçaram para construir uma plataforma programática discutida e rediscutida, estão construindo a candidatura do Ciro Gomes desde 2016, e não é cabível que se cometa essa pressão desrespeitosa contra um partido e um candidato brasileiro, ainda mais por estrangeiros. Eles estão projetando um cenário fantasioso “que Ciro é linha auxiliar do fascismo”, porém esquecem de citar que o PDT já foi governo Lula, em um cenário hipotético, com o cinismo maior do mundo todos esses que agora estão falando isso, vão se calar se o Lula anunciar o PDT ou Ciro como Ministro. Se calaram com o PSDB e Alckmin, porque seria diferente agora?

O Brasil se tornou uma república de bananas que todos querem intervir. Já não bastavam às declarações da Michelle Bachelet, da ONU, nos EUA, o Pentágono, o Congresso, o Departamento de Estado dos EUA, e o Presidente Biden também declararam sobre as eleições no Brasil que “irão reconhecer os resultados das urnas”. Por que os EUA estão dizendo que irão reconhecer o resultado das eleições no Brasil? Há outra opção que não seja reconhecer as eleições? E não é por ameaças do Bolsonaro, porque ele é fruto do golpe de Estado dos EUA. além disso, às vésperas das eleições, o Lula se reuniu com o embaixador dos EUA, como se fosse chefe de Estado para arbitrar sobre o Brasil. O Bolsonaro também pediu apoio ao Biden. Agora somos surpreendidos com a “carta” de ex-membros de governo intervindo sobre o processo eleitoral no Brasil.

Ciro abandonar candidatura por causa do “Voto útil”? Claro que não!

Onde essa candidatura do PT quer chegar? Parece que não está no Brasil do golpe, desde o primeiro dia que Bolsonaro assumiu a presidência, ele está trabalhando para ser reeleito, distribuindo fundos e emendas, construindo mídias, fazendo alianças nos municípios e usando a máquina do Estado com esse objetivo. Inclusive aprovando o Auxilio Emergencial, que teve o apoio do PT, e que isso sim terá impacto eleitoral.

Para corroborar com o argumento, desde 1989, o Brasil tem segundo turno, mesmo no melhor momento do PT, lá no início dos anos 2000 ou em 2010, o PT enfrentou segundo turno, porque agora, depois do golpe isso mudaria? Nas eleições municipais de 2020, o PT foi derrotado em todas as capitais, seu candidato foi derrotado em 2018, mas a arrogância petista fala “onda vermelha para eleger Lula”.

Por exemplo, nas eleições de 2018, votos Brancos, nulos e abstenções chegaram à 42 milhões de pessoas, sendo que 21% do eleitorado sequer fez o esforço de comparecer nas urnas para votar. Porém, em vez de buscar esse eleitorado, a burocracia do PT mira nos 10% dos eleitores que votam no Ciro Gomes. Por tanto, podemos concluir que o problema aqui não é voto, mas sim inviabilizar uma alternativa política fora do PT.

Vamos relembrar, em 2018, a candidatura de Ciro Gomes pregou o voto útil alegando que ele era o único que venceria Bolsonaro no segundo turno, por sua vez, o PT questiona essa declaração dizendo “que o voto deve ser dado para o apoio à uma proposta política, um projeto ou aglutinar força em torno de uma luta”. Eles dizem que agora nada disso vale porque do outro lado é o Bolsonaro.

Mas o fascismo e o neoliberalismo são faces da mesma moeda, e o PT e o Lula escolheram o Alckmin para ser vice. Mercadante e Guido mantega elogiam o banco central do Bolsonaro, fazem reunião com o Henrique Meireles, ex-ministro do Temer, que apoia o Lula em troca de uma Reforma Administrativa, e agora vão combater o fascismo? Com esse mesmo modelo econômico? E mais prometem reconstruir o Brasil com Miguel Reale Jr., Geddel Vieira Lima, Fernando Henrique Cardoso figuras desprezadas pelo o povo brasileiro.

Além disso, quem deu o golpe de 2016 não foi o Bolsonaro, foram as Instituições, as mesmas instituições que o PT diz ser o maior defensor. No Brasil, a polícia mata 60 mil por ano, a tortura e algo institucionalizado segundo a Anistia Internacional, ou seja, são as instituições brasileiras que emanam o fascismo. As mesmas instituições que foram fundadas no golpe de estado de 1964.

O PT exige o compromisso de todos para votarmos neles, mas é o PT que não quer assumir nenhum compromisso. É um partido complacente com todas as medidas adotadas pelo golpe contra nossa soberania e os direitos do povo, e retoricamente dizem querer voltar ao governo para reconstruir aquilo que eles não defenderam. E agora querem jogar nas costas do povo a responsabilidade de derrotar Bolsonaro, foi o PT eles que apostou pela via das eleições.

E eleição é isso, pode vencer ou perder. E foi o PT que perdeu a oportunidade de vencer o “fascismo”, invés disso, traíram todas às lutas contra o golpe desde 2016 pra cá. E agora a responsabilidade é do povo? E culpa o Ciro pela derrota para o Bolsonaro? Não! Não podemos aceitar isso.

Se Lula vai mal é por culpa do próprio PT e Lula, suas alianças, suas estratégia política. Da mesma forma, se Ciro vai mal é porque ele não fez o que deveria ter sido feito para ser eleito. Essa campanha pelo voto útil não é por causa do voto. Se há tanta preocupação com o voto útil porque não há pressão para pegar os votos da Tebet (o Temer de saia) ou os candidatos da extrema esquerda. Toda a campanha do PT é contra o Ciro Gomes, porque o objetivo é despolitizar ainda mais as eleições e destruir qualquer alternativa politica para além do PT, independentemente se ela é certa ou não.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s